Pular para o conteúdo principal

Alugar x Comprar imóvel, qual a melhor opção para você?

 

Shutterstock


Tempo de leitura: 3,5 minutos


Os anseios pela casa própria fazem parte do imaginário social há décadas e ter uma casa quitada ainda é o sonho de muitos brasileiros, mas cada vez mais pessoas estão trocando esse sonho pelo aluguel.

A casa própria pode ser considerada um investimento que, após a quitação, poderá valorizar. Além disso, ter um bem imóvel pode trazer um sentimento de estabilidade. Entretanto, nem todos estão dispostos a imobilizar suas economias, preferindo ter seu dinheiro disponível para usufruir no curto e médio prazo e ter mobilidade para morar onde desejar e for conveniente, mesmo que signifique comprometer parte do seu rendimento com o compromisso mensal do aluguel.

A geração millennials, também conhecida como geração Y, que tem faixa etária entre 25 e 39 anos, não vê a casa própria como seus pais e avós. Dados apurados pela Today, agência de transformação digital, indicam que 80% deles preferem alugar imóveis ao invés de comprá-los. Um dos principais motivos é o mercado de trabalho, já que essa geração troca de emprego em média a cada 2 anos, o que implica em possíveis mudanças de casa e até de país. 

Veja algumas vantagens e desvantagens dos dois tipos de moradia:

Vantagens do aluguel

Os gastos de quem mora de aluguel são normalmente inferiores aos gastos de quem compra um imóvel por financiamento ou consórcio, pois não inclui juros nem melhorias fixas no imóvel. Morando de aluguel, é mais fácil escolher o local mais adequado para suas necessidades, como morar perto do trabalho ou da família. Mudanças de rotina de trabalho, estado ou país podem ser resolvidas com muito mais agilidade.

Desvantagens do aluguel

No vencimento do contrato de locação, o inquilino que desejar se manter no imóvel corre o risco do proprietário não desejar renová-lo. Além disso, caso deseje fazer algum reparo, o locatário sempre precisará da autorização do locador que poderá não autorizar ou não se comprometer em arcar com o investimento, ficando por conta do inquilino, caso esse desejar.

Vantagens de comprar um imóvel

Ter um imóvel pode garantir maior estabilidade à família e liberdade em relação às reformas de melhoria, além de representar um investimento que pode valorizar com o tempo. Caso deseje ou precise se mudar, o imóvel poderá ser colocado para locação, trazendo rendimentos superiores a maioria das aplicações.

Desvantagens de comprar um imóvel

Sempre existe a possibilidade dos planos mudarem no decorrer do tempo e aquele bem adquirido não fazer mais sentido para a realidade familiar. Caso precise vender o imóvel, não será possível prever o tempo que será necessário para a consolidação da venda, bem como nível de valorização ou desvalorização do imóvel. 

Como vemos, não existe certo ou errado, existe o que é melhor para sua realidade no momento. O importante é analisar o seu caso, avaliar as perspectivas para o futuro e se preparar para qualquer que seja o caminho a ser tomado.

Para se sentir mais seguro em qualquer decisão, procure profissionais capacitados e experientes no assunto, conte com a MJ Imóveis para te assessorar.




Comentários

  1. Morando de aluguel, porém sonhando com a casa própria rs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

OS IMPACTOS DA PANDEMIA NO MERCADO IMOBILIÁRIO

Bem-vindo! Pensando em você, criamos este blog para que você possa acompanhar o mercado imobiliário nestes tempos de pandemia. Entendemos que somos detentores de informações importantes e que precisamos compartilhá-las com você. O primeiro conteúdo é um panorama geral sobre OS IMPACTOS DA PANDEMIA NO MERCADO IMOBILIÁRIO. Aproveite a leitura! Começaremos esta semana falando um pouco do cenário econômico X imobiliário antes e no início da pandemia. O setor de venda e locação de imóveis vinha desde 2019 em uma curva crescente   juntamente com a ascensão da economia brasileira. A liquidez das transações imobiliárias (quantidade de transações), assim como os preços de mercado subiam exponencialmente como há muito tempo não víamos. As pesquisas mostram que o mercado sofreu forte queda no mesmo momento em que a crise foi anunciada. Há uma diferença no impacto causado nos imóveis comerciais e residenciais. Imóveis comerciais estão sofrendo diretamente pela queda de v

MJ Imóveis 34 anos: legado, credibilidade e inovação no mercado imobiliário

Tempo de leitura: 3,5 minutos Transformar sonhos em realidade, desde 1986 este é o principal objetivo da MJ Imóveis, colaborar para que os clientes encontrem o lar que procuram.  Atuando há 34 anos em Moema a imobiliária, um negócio familiar, já realizou o sonho de milhares de pessoas. Por meio de muito trabalho, conhecimento e constante evolução, a empresa consolidou sua marca no bairro e atualmente é reconhecida pela habilidade em conciliar um atendimento personalizado ao know-how estratégico do mercado imobiliário, seja na compra e venda, locação ou administração de imóveis. Ao longo desses anos, além de se consolidar no setor, a imobiliária conseguiu criar uma relação de solidez e confiança com seus clientes – muitos deles parceiros desde o início do negócio.  Para a sócia-fundadora Maria José Malandrino o principal diferencial da MJ Imóveis é o relacionamento com o cliente. “Sempre prezamos pelas necessidades que nos trazem e auxiliamos no que for necessário. Queremos que a experi

A INFLUÊNCIA DO CORONA VÍRUS NO MERCADO IMOBILIÁRIO, 2ª ONDA

Com base em pesquisas do setor imobiliário, em informações do DataZap, elaboramos um post com informações fresquinhas. É uma 2ª onda que está trazendo respostas sobre o que o Corona Vírus mudou nas finanças pessoais, nas expectativas de gastos com moradia e nas novas demandas para os profissionais do mercado. É fundamental compartilhar com vocês que o cenário já melhorou desde o início da crise em nosso setor. O público aderiu e gostou das novas práticas tecnológicas, o que permitiu a retomada do fechamento de negócios. Em uma pesquisa feita pelo DataZap, 75% do público-alvo era da região Sudeste e dentre eles, 91% residentes da Capital, maioria mulheres entre 25 e 36 anos que demonstram alto interesse na locação de imóveis (53%), superando a iniciativa de compra (31%). O índice se mostra alto para ambos os casos, indicando boa taxa de segurança dos consumidores e uma inclinação a fecharem negócios. Um ponto importante a ressaltar é que 72% dos respondentes que demonstram