Pular para o conteúdo principal

Vaga de garagem em condomínios – Tudo que você precisa saber

 


Na convivência em condomínio, muitos assuntos geram polêmicas e desacordos. As regras sobre o uso da garagem não são exceções. Isso porque esse é um espaço que ainda representa muitas dúvidas quanto aos direitos e deveres dos condôminos. Questões como “a quem pertence a vaga de garagem?” ou “posso alugar a minha vaga de garagem?” surgem com frequência. Por isso, é fundamental conhecer todas as regulamentações desse espaço.

Pra começar, é importante que você conheça a convenção condominial do seu prédio. As regras devem estar claras e acessíveis para todos os moradores.

Em relação à garagem, é comum que este documento aborde:

- Normas de segurança;
- Carros de visitantes;
- Possibilidade ou não de locação e venda de vagas;
- Punição por estacionamento em local indevido;
- Datas e horários para realização de mudanças;
- Multas e advertências por uso indevido.

Apesar do regimento interno, o nosso código civil também possui algumas regulamentações importantes que precisam ser conhecidas. Ele divide as vagas de garagem em três tipos:

Vagas autônomas: possuem matrícula própria em um Cartório de Registro de Imóveis. Isso significa que ela é privativa e propriedade individual do morador, representando uma fração do condomínio.

Vaga vinculada: essa não possui matrícula própria, mas ainda é considerada propriedade individual e privativa do condômino. Contudo, essa vaga de garagem de prédio não é vinculada à matrícula da unidade.

Vaga comum: essa é a vaga que faz parte da área comum e não é propriedade privada de nenhum morador. Seu uso vai ser determinado pelos regimentos internos do condomínio e todo morador tem direito de uso.

Em relação às vagas de estacionamento prioritárias, não existe artigo do Código Civil que as tornem obrigatórias em condomínios. No entanto, é aconselhável que o condomínio ofereça vagas para portadores de deficiências ou com mobilidade reduzida, além das especiais para idosos.

Por isso, antes de comprar ou alugar um apartamento é importante saber o tipo de vaga que será disponibilizada para você.

Se a convenção condominial permitir, os moradores podem sublocar as vagas para pessoas do mesmo prédio ou pessoas de fora, esta é uma prática legal, segundo a lei. O mesmo acontece com a venda das mesmas, tudo vai depender das regras internas.

Para quem não tem carro ou moto, o aluguel da garagem como renda extra pode ser uma boa opção. O valor cobrado é calculado de acordo com a região onde o prédio está localizado e, também, com base no valor mensal dos estacionamentos ao redor.

Como todas as questões que fazem parte do dia a dia da vida em condomínios, com as vagas de garagem não é diferente. O bom senso e a tolerância devem vir em primeiro lugar, é fundamental que você saiba todas as regras, para saber o momento certo de reivindicar os seus direito e como deve praticar os seus deveres.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Locador e locatário acertando as contas com o leão

O Imposto de Renda sobre aluguel é um tema que costuma gerar dúvidas e até erros na hora da declaração. É preciso ter muita atenção, pois a informação errada ou faltante pode causar sérios problemas, levando o contribuinte a cair na malha fina. Os aluguéis devem ser obrigatoriamente informados na Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) de ajuste anual com base no valor dos aluguéis recebidos, que são refletidos nos informes de rendimentos fornecidos pela imobiliária no contrato de locação. O locador que  recebeu aluguel mensal no limite da isenção do Imposto de Renda também deve declarar. Isso é necessário porque esses valores serão contabilizados na renda total para calcular o valor de uma possível restituição. O pagamento do tributo é de responsabilidade do locador, quando o locatário for pessoa física. É importante que você esteja atento. Já que este ano a regra do Imposto de Renda estabelece que apenas o valor líquido do aluguel será tributado. Despesas como IPTU (Impo

MJ Imóveis 34 anos: legado, credibilidade e inovação no mercado imobiliário

Tempo de leitura: 3,5 minutos Transformar sonhos em realidade, desde 1986 este é o principal objetivo da MJ Imóveis, colaborar para que os clientes encontrem o lar que procuram.  Atuando há 34 anos em Moema a imobiliária, um negócio familiar, já realizou o sonho de milhares de pessoas. Por meio de muito trabalho, conhecimento e constante evolução, a empresa consolidou sua marca no bairro e atualmente é reconhecida pela habilidade em conciliar um atendimento personalizado ao know-how estratégico do mercado imobiliário, seja na compra e venda, locação ou administração de imóveis. Ao longo desses anos, além de se consolidar no setor, a imobiliária conseguiu criar uma relação de solidez e confiança com seus clientes – muitos deles parceiros desde o início do negócio.  Para a sócia-fundadora Maria José Malandrino o principal diferencial da MJ Imóveis é o relacionamento com o cliente. “Sempre prezamos pelas necessidades que nos trazem e auxiliamos no que for necessário. Queremos que a experi

12 opções gastronômicas em Moema para todos os paladares

Moema é uma região bem conhecida por abrigar ótimos estabelecimentos que oferecem uma grande variedade gastronômica aos seus moradores e aos visitantes, não há espaço para mesmice.  Selecionamos 12 lugares do bairro com sugestões diversas: da cerveja à sobremesa. Veja algumas opções e pense em como seria bom poder frequentar esses ambientes sem ter que fazer grandes deslocamentos: Fuego Celeste Parrillada: Casa de carnes com cortes uruguaios individuais, clima familiar e recentemente inaugurada no bairro, Av. Jacutinga, 365; Sí Señor: Restaurante de culinária texana e mexicana com opções veganas e menos calóricas, na Al. Jauaperi, 626; Baccio di Latte: A rede que recentemente chegou como opção de varejo em diversas cidades do Brasil, mantém suas lojas físicas intactas. Sorvetes de frutas, cremosos ou veganos, uma das sorveterias mais conhecidas no país. Aqui está localizada na Av. Rouxinol, 576; Willi Willie Bar e Arqueria: Um bar épico, que ainda atrai turistas e paulistanos, tem es