Pular para o conteúdo principal

Os condomínios após o isolamento: Saiba o que mudou

Parece que ultimamente tudo é sobre mudança, né?! Mudanças profissionais, pessoais, comportamentais… E não poderia ser diferente, já que enfrentamos uma pandemia. Essas alterações no cotidiano são fundamentais para preservar nossa saúde e de todos que convivem, ou não, com a gente.

Elas se espalham por todos os lugares e não poderiam ficar de fora dos condomínios residenciais, que são espaços compartilhados diariamente por diversas de pessoas, entre moradores, visitantes, colaboradores e prestadores de serviços. 

As novas regras são baseadas nas orientações de instituições renomadas de saúde, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e de entidades de saúde em esferas federais, estaduais e municipais. 

A realidade é que cada condomínio se adaptará à sua maneira, mas medidas como a aplicação de álcool em gel nas mãos, o uso de máscara nas áreas comuns, o respeito ao distanciamento social e a higienização dos ambientes e superfícies precisam ser seguidas à risca. 

Muitas cidades já estão na fase de reabertura gradual das atividades econômicas e com isso um novo desafio surgiu para os síndicos: alguns moradores solicitaram a reabertura dos espaços de lazer, atividade física e convivência. 

A solicitação é polêmica e a Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC), sugere que o retorno às atividades destes locais só deve acontecer se “seguir um tripé de segurança, formado por medidas de distanciamento social, uso de máscaras de proteção e higienização frequente”. Para as áreas cobertas, a associação recomenda mais cautela e sugere reabertura somente mediante reserva por apartamento, a fim de controlar o número de usuários.

Com esse desafio nas mão, os síndicos contam com a participação dos condôminos, em pesquisas e assembleias virtuais, para encontrar um consenso em relação à flexibilização do uso destes locais e à presença de visitantes nos apartamentos, já que aglomerações devem ser evitadas. Os aplicativos de mensagens instantâneas como WhatsApp e Telegram também têm destaque, são usados para agendamentos e sorteios, que definem os horários e dias que os moradores podem usar os ambientes. Assim, facilitam o rodízio e alguns avisos extraoficiais.

Outra novidade está relacionada às obras para reparos ou reformas. Para evitar a circulação de muitos prestadores de serviços, alguns condomínios optaram em liberar apenas obras essenciais, de bem comum.

Apesar de algumas regras valerem para todos os residenciais, é importante que cada condomínio se organize de acordo com o regimento interno, as orientações dos órgãos especializados e com o bom senso. Já que esta situação de mudança, e suas adaptações, exigem responsabilidades não apenas com os moradores, mas com quem se relaciona com eles do lado de fora, nas ruas.  



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Locador e locatário acertando as contas com o leão

O Imposto de Renda sobre aluguel é um tema que costuma gerar dúvidas e até erros na hora da declaração. É preciso ter muita atenção, pois a informação errada ou faltante pode causar sérios problemas, levando o contribuinte a cair na malha fina. Os aluguéis devem ser obrigatoriamente informados na Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) de ajuste anual com base no valor dos aluguéis recebidos, que são refletidos nos informes de rendimentos fornecidos pela imobiliária no contrato de locação. O locador que  recebeu aluguel mensal no limite da isenção do Imposto de Renda também deve declarar. Isso é necessário porque esses valores serão contabilizados na renda total para calcular o valor de uma possível restituição. O pagamento do tributo é de responsabilidade do locador, quando o locatário for pessoa física. É importante que você esteja atento. Já que este ano a regra do Imposto de Renda estabelece que apenas o valor líquido do aluguel será tributado. Despesas como IPTU (Impo

6 atributos que fazem de Moema o bairro ideal

Tempo de leitura: 2,5 minutos Restaurantes renomados, diversidade de estabelecimentos comerciais, lazer e qualidade de vida. Parece difícil imaginar que tudo isso seja característica de um mesmo bairro em São Paulo, mas Moema é versátil e consegue oferecer aos moradores e visitantes diversas opções com a sofisticação de um bairro nobre e o bem estar de cidade do interior. - Localização Situado no centro-sul de São Paulo, o bairro nobre tem localização privilegiada e fácil acesso, seja de carro, ônibus, metrô ou bicicleta. A linha 5 Lilás do Metrô, faz conexão com com outras linhas: 1 Azul e 2 Verde. A Avenida Ibirapuera conta com um amplo corredor de ônibus que, atende as mais diversas áreas da cidade.  - Lazer e cultura Um dos primeiros bairros planejados da cidade e com planejamento urbano bem estruturado, Moema tem as ruas arborizadas e uma ampla área verde. Está ao lado do Parque do Ibirapuera, um dos principais da cidade, que conta com a Bienal, a Oca, o Museu de Arte Moderna (MAM

Reajuste do aluguel: como funciona e qual a interferência do IGP-M?

  Pixabay Tempo de leitura: 2,5 minutos Quem já está habituado a alugar imóvel sabe que anualmente ocorre o reajuste no valor do aluguel.  Conforme a Lei do Inquilinato (Lei 8.245/91), é permitido reajustar o valor do aluguel uma vez por ano, tanto para imóveis residenciais, quanto para comerciais. Esta atualização do valor acontece como um meio de evitar a desvalorização do imóvel e para prevenir que o proprietário tenha prejuízo com ganhos defasados em relação ao mercado e inflação. Por outro lado, deixar que o processo aconteça individualmente (pela vontade de cada locador) aumentaria a probabilidade de cobranças abusivas, por isso a definição de um índice como parâmetro é tão importante. Portanto, é fundamental que todas as especificações sobre o reajuste estejam no contrato de locação. Este tema torna a busca por uma imobiliária séria, que saiba te orientar corretamente e que tenha conhecimento sobre todas as informações a respeito deste assunto ainda mais importante. Como funcion