Pular para o conteúdo principal

ENTENDA PORQUÊ NÃO REABRIREMOS EM BREVE




A prefeitura já anunciou que em alguns dias as atividades imobiliárias estarão autorizadas a voltarem às atividades, de acordo com novas regras definidas pelo Creci-SP, Secovi-SP e a vigilância sanitária.
No entanto, conforme informado dias atrás, a MJ Imóveis optou por não reabrir de imediato. “Analisamos a situação em um contexto geral e percebemos que para nós, os colaboradores e para os clientes é melhor preservarmos a saúde de todos e evitar o risco de contágio. Além do mais, escolhemos seguir as orientações das autoridades globais, que são referência no assunto.”, afirma Cintia Malandrino, sócia e gerente comercial da MJ Imóveis.

A cidade de São Paulo ainda registra altos índices de pessoas contaminadas e o número de óbitos constantemente bate recordes. A taxa de isolamento de 70%, definida pelo governo como ideal para evitar a sobrecarga do sistema público de saúde, não atingiu a meta nenhum dia desde o início da quarentena.

“Sabemos que diversas pessoas não têm escolha e não podem trabalhar em casa, respeitamos e entendemos isso. Nossa equipe está em atendimento remoto desde o dia 20 de março e estamos conseguindo atender a demanda e continuar oferecendo serviços personalizados para os clientes. A ansiedade para voltar à nossa sede e recebê-los é grande, mas quando for o momento mais oportuno e com menos riscos. Todos podem entrar em contato com a gente pelo telefone, e-mail, whatsapp ou redes sociais, nossos canais de comunicação estão abertos e nossa equipe pronta para ajudar com a atenção e a competência de sempre”, diz Cintia.

Logo a situação vai melhorar e todos poderão voltar às atividades com menos receios, mais cuidados e mais fortalecidos.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

OS IMPACTOS DA PANDEMIA NO MERCADO IMOBILIÁRIO

Bem-vindo! Pensando em você, criamos este blog para que você possa acompanhar o mercado imobiliário nestes tempos de pandemia.
Entendemos que somos detentores de informações importantes e que precisamos compartilhá-las com você.
O primeiro conteúdo é um panorama geral sobre OS IMPACTOS DA PANDEMIA NO MERCADO IMOBILIÁRIO. Aproveite a leitura!

Começaremos esta semana falando um pouco do cenário econômico X imobiliário antes e no início da pandemia. O setor de venda e locação de imóveis vinha desde 2019 em uma curva crescentejuntamente com a ascensão da economia brasileira. A liquidez das transações imobiliárias (quantidade de transações), assim como os preços de mercado subiam exponencialmente como há muito tempo não víamos. As pesquisas mostram que o mercado sofreu forte queda no mesmo momento em que a crise foi anunciada. Há uma diferença no impacto causado nos imóveis comerciais e residenciais. Imóveis comerciais estão sofrendo diretamente pela queda de volume de vendas por causa d…

A INFLUÊNCIA DO CORONA VÍRUS NO MERCADO IMOBILIÁRIO, 2ª ONDA

Com base em pesquisas do setor imobiliário, em informações do DataZap, elaboramos um post com informações fresquinhas. É uma 2ª onda que está trazendo respostas sobre o que o Corona Vírus mudou nas finanças pessoais, nas expectativas de gastos com moradia e nas novas demandas para os profissionais do mercado.
É fundamental compartilhar com vocês que o cenário já melhorou desde o início da crise em nosso setor. O público aderiu e gostou das novas práticas tecnológicas, o que permitiu a retomada do fechamento de negócios.
Em uma pesquisa feita pelo DataZap, 75% do público-alvo era da região Sudeste e dentre eles, 91% residentes da Capital, maioria mulheres entre 25 e 36 anos que demonstram alto interesse na locação de imóveis (53%), superando a iniciativa de compra (31%). O índice se mostra alto para ambos os casos, indicando boa taxa de segurança dos consumidores e uma inclinação a fecharem negócios.
Um ponto importante a ressaltar é que 72% dos respondentes que demonstram interesse n…

QUEM SERÁ O POSSÍVEL CONSUMIDOR PÓS-CRISE?

Antes de traçar o novo perfil do consumidor 2020 pós-crise, vamos fazer um panorama do consumidor 2020 pré-crise. Todos os caminhos guiavam as gerações Y e Z para a praticidade e mobilidade. A evolução de serviços de recorrência (clubes por assinatura) como Spotfy e Netflix foi rápida. Avanços tecnológicos mudaram os hábitos de consumo e com isso os serviços pagos por mensalidade se tornaram mais frequentes, gerando a economia da recorrência. Os serviços de recorrência mudaram a forma com que as pessoas se relacionam com as compras. Quer dizer que: você não precisa mais adquirir um produto, apenas paga para ter acesso recorrente, por tempo determinado. É fácil relacionar este tipo de serviço ao aluguel de imóveis. Pensando ainda no consumidor 2020 pré-crise, a opção de locação de imóveis ao invés da compra, se tornou a escolha perfeita. Estamos falando de um consumidor que quer agilidade nos processos e negociações, conforme contamos no primeiro post do Blog (Os Impactos Da Pandemia…