Pular para o conteúdo principal

Saiba fatores que influenciam na taxa do condomínio


Algumas vezes, ao comparar o valor do condomínio na hora de escolher um imóvel ou em conversa com amigos, percebemos uma grande diferença entre os valores, até entre apartamentos no mesmo bairro.

Mas, o que define o valor da taxa condominial? Quais critérios existem?

A taxa de condomínio nada mais é do que a divisão dos gastos do condomínio entre todos os condôminos. Ela não prevê nenhuma forma de lucro para o condomínio, e sim o rateamento das despesas.

O número de apartamentos do edifício é um dos principais fatores que define o valor da quota paga pelos moradores. Quanto menos unidades o prédio tiver, maior será o valor do condomínio. Em cidades maiores, como capitais e grandes centros, os lançamentos imobiliários mais recentes têm investido em condomínios compostos por duas ou mais torres, o que contribui para a redução da taxa.

Existem diversos critérios que influenciam no o valor da taxa de condomínio, alguns deles são:

  • Quantidade de apartamentos no rateio;
  • Gastos com colaboradores;
  • Gastos com água;
  • Gastos com manutenção;
  • Gastos com administração.

Por serem todos itens variáveis, não existe um preço “justo” ou “ideal”. Tudo depende do que é ofertado e de como a gestão financeira, que fica a cargo do síndico e/ou de administradoras de condomínio, acontece.

Um condomínio é como uma empresa: o custo de operação depende do gestor e da forma de administrar. O trabalho de gestão é constante e mudanças são inevitáveis. O salário de uma categoria pode crescer, a energia elétrica pode ficar mais cara, um alagamento na garagem pode exigir R$ 100 a mais de cada um por um ano. Nestas situações, uma boa sindicância, faz toda a diferença. Já que não há obrigatoriedade legal de reajustar o valor do condomínio, cabe ao síndico e à administradora buscarem melhores fornecedores para manter o custo.

Quando a  gestão é eficiente, eles conseguem manter o valor das cotas condominiais reduzindo outros custos. Assim, o aumento de salários, por exemplo, não é repassado ao morador condômino.

Se você mora em São Paulo, pode acessar site da AABIC (Associação das Administradores de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo), e consultar o Índice Periódico de Variação de Custos Condominiais na cidade, com relatórios que oferecem quadros comparativos de despesas, taxas médias para apartamentos de 1 a 4 dormitórios com quantidades diversas de unidades e dois padrões de condomínio (mais ou menos sofisticado).

Outro fator relevante é o fundo de reserva, que é uma quantia poupada para imprevistos que aconteçam com o edifício, como uma reposição de equipamentos da academia ou o conserto de algum encanamento danificado, por exemplo.

É importante frisar que o percentual que vai ser acrescentado à taxa será decidido em assembleia pelos próprios residentes do local. Logo, você pode pagar 5%, como cota para o fundo de reserva onde mora com a sua família, enquanto um amigo pode pagar 10%.

Também é importante lembrar que, no caso de um apartamento alugado, as despesas extraordinárias (que não se referem aos gastos rotineiros de manutenção do edifício) são de responsabilidade do locador.

Portanto, uma boa dica na hora de escolher o seu imóvel, é pesquisar e entender como funciona o rateio do condomínio, ver o histórico do valor cobrado e checar como está o fundo de reserva. Assim você evita inconvenientes no futuro.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Locador e locatário acertando as contas com o leão

O Imposto de Renda sobre aluguel é um tema que costuma gerar dúvidas e até erros na hora da declaração. É preciso ter muita atenção, pois a informação errada ou faltante pode causar sérios problemas, levando o contribuinte a cair na malha fina. Os aluguéis devem ser obrigatoriamente informados na Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) de ajuste anual com base no valor dos aluguéis recebidos, que são refletidos nos informes de rendimentos fornecidos pela imobiliária no contrato de locação. O locador que  recebeu aluguel mensal no limite da isenção do Imposto de Renda também deve declarar. Isso é necessário porque esses valores serão contabilizados na renda total para calcular o valor de uma possível restituição. O pagamento do tributo é de responsabilidade do locador, quando o locatário for pessoa física. É importante que você esteja atento. Já que este ano a regra do Imposto de Renda estabelece que apenas o valor líquido do aluguel será tributado. Despesas como IPTU (Impo

6 atributos que fazem de Moema o bairro ideal

Tempo de leitura: 2,5 minutos Restaurantes renomados, diversidade de estabelecimentos comerciais, lazer e qualidade de vida. Parece difícil imaginar que tudo isso seja característica de um mesmo bairro em São Paulo, mas Moema é versátil e consegue oferecer aos moradores e visitantes diversas opções com a sofisticação de um bairro nobre e o bem estar de cidade do interior. - Localização Situado no centro-sul de São Paulo, o bairro nobre tem localização privilegiada e fácil acesso, seja de carro, ônibus, metrô ou bicicleta. A linha 5 Lilás do Metrô, faz conexão com com outras linhas: 1 Azul e 2 Verde. A Avenida Ibirapuera conta com um amplo corredor de ônibus que, atende as mais diversas áreas da cidade.  - Lazer e cultura Um dos primeiros bairros planejados da cidade e com planejamento urbano bem estruturado, Moema tem as ruas arborizadas e uma ampla área verde. Está ao lado do Parque do Ibirapuera, um dos principais da cidade, que conta com a Bienal, a Oca, o Museu de Arte Moderna (MAM

Reajuste do aluguel: como funciona e qual a interferência do IGP-M?

  Pixabay Tempo de leitura: 2,5 minutos Quem já está habituado a alugar imóvel sabe que anualmente ocorre o reajuste no valor do aluguel.  Conforme a Lei do Inquilinato (Lei 8.245/91), é permitido reajustar o valor do aluguel uma vez por ano, tanto para imóveis residenciais, quanto para comerciais. Esta atualização do valor acontece como um meio de evitar a desvalorização do imóvel e para prevenir que o proprietário tenha prejuízo com ganhos defasados em relação ao mercado e inflação. Por outro lado, deixar que o processo aconteça individualmente (pela vontade de cada locador) aumentaria a probabilidade de cobranças abusivas, por isso a definição de um índice como parâmetro é tão importante. Portanto, é fundamental que todas as especificações sobre o reajuste estejam no contrato de locação. Este tema torna a busca por uma imobiliária séria, que saiba te orientar corretamente e que tenha conhecimento sobre todas as informações a respeito deste assunto ainda mais importante. Como funcion